.

.

8 de jan de 2012

Voltando para trás, de novo...


Eram nove horas da noite, após ter me encontrado em uma parte de um conto qualquer, consegui lembrar de você. Não tinha romantismo e nem ao menos as lembranças, que pudesse julgar como bonitas, só conseguia lembra de ti, como sempre...
Já faz tanto tempo, eram para ser três anos exatamente e ainda lhe tenho na memória, como um príncipe qualquer da minha historia, o protagonista. Passo dias tentando achar algo que me completasse assim, como você conseguiu.
Arrependimento! Tai, uma palavra que corroí em mim, por tudo! Por ter conhecido você, por meus atos, pelas suas magoas causadas por mim, por saber que você não se importa mais.. Acho que foi um dos momentos mais difíceis na minha historia e mesmo assim são os trechos que mais lembro, na verdade, consigo lembrar de ti sempre!
Se consigo alguma coisa que me enche de alegria ou quando tem algo que me tira o chão, vem você na minha mente... Lembra que sempre corria para lhe contar? Talvez, seja isso! A compania ou a falta dela, ainda não sei o por quê, depois de tanto tempo, ainda me encontro presa a ti. Presa em lembranças, em relatos que já não eram para se lembrar... 
As vezes, espero o acaso. Que encontre alguem tão encantador, que me fascine, que faça me apaixonar por  todos os dias, que me compreenda tão bem, pois aí você irá ficar onde tem que ficar, no passado!
Que todas essas malditas lembranças que me assombram vão embora, parar com todas essas minhas comparações que não levam a nada... Desejo que vá logo, que tenha pressa de desaparecer como você fez da ultima vez... 

- Bruna Carmona

Nenhum comentário:

Postar um comentário