.

.

22 de jan de 2012

Mas, resta a minha própria compania...

  

Me dói, como dói. Sempre foi difícil olhar para os lados e ver que só restava solidão acompanhada da minha musica preferida tocando ao fundo.
O vazio que já gritava a tanto tempo e a única coisa que pensava era em me esquecer, adormecer essa dor aqui dentro, que me deixava aos prantos.
Mas agora é diferente, depois de tanto tempo, consegui juntar todos os cacos de um coração estraçalhado, porém, não adiantou de nada. Continuei ali, sozinha... Na espera de alguém que me mostrasse que as coisas poderiam ser mais fáceis, apenas por estar do lado dela. Que toda luta pareça ser vencida, pois, ela estará sorrindo para mim quando precisar.
Na duvida de esperar algo acontecer ou correr atrás da vida que me foi roubada, da alegria compartilhada... Restou apenas a velha inimiga que já virou intima e habita em meu coração, a solidão! E há quem diga que devia demonstrar frieza diante do Amor. Pensando em um situação não tão distante, de que adianta fechar a cara para algo que me mostra ser a melhor coisa do mundo? Sacrificar alguem que lhe ama, por causa de uma desilusão é ter um doce e não saber saborear, nao
Eu não sei ser sozinha e não quero aprender do pior jeito.

- Bruna Carmona


Nenhum comentário:

Postar um comentário