Pular para o conteúdo principal

O jeito velho de se preucupar.


Conto-lhes a história de quem mais gostou de amor. Apaixonada pelo sentimento, tenho que contar uma coisa: sou apegada a todo e qualquer detalhe que fizer me sentir mais amada aqui, nesta Terra.
Há quem me chame de tola, mas, confio que um dia encontre alguém que aprecie e saboreie o amor tão bem quanto eu mesma! Que não demonstre hipocrisia quando se trata de um coração apaixonado.
Ganhei muitos apelidos por propor alguns desafios ao meu coração, fazer testes para não o enganar e mesmo assim continuar tentando, sempre diziam tinha dom para acreditar nos famosos "Contos de Fadas".
Pois bem, tenho uma crença! Tenho a condição de acreditar que um dia irei encontrar alguém que tenha tamanha doçura e respeito por mim e não pelo fato de ouvir uma historia tola de "felizes para sempre". Trato o meu coração, para que futuramente não sofra de amores perdidos, não acumule magoas aleatórias. Quero que meu coração tenha outro para se apoiar, confiar, querer o bem e toda a historia de um velho casal apaixonado.
Gosto do velho romantismo, da velha carta de amor escrita no meio da madrugada, gosto dos detalhes que hoje passam desapercebidos, da preocupação rara e até da preocupação do bem estar: "Pegou seu casaco? Irá fazer frio". Gosto das perguntas aleatórias sobre mim. Da velha rotina de se encantar por o perfume novo....
Gosto desse clichê todo que hoje em dia virou raridade!

- Bruna Carmona

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Direta.

Começo dizendo que tentei, de primeira, de ultima, uma, duas, três vezes... Você por algum motivo fingiu não ver o quanto protegi toda sua historia e a valorizei contando partes do passado enquanto a gente jogava conversa fora. Me declarei, li, fingi que não li, fingi entender e entendi. E dessa vez, os lados mudaram, não é que tu não seja feito pra mim, a real é que não nasci pra você. Sua forma fria de ser, congelada todo amor que tenho em mim.  Não vou me prolongar, vilão mesmo é meu pensamento criando toda aquela historia que você nunca deixou contar....
- Bruna Carmona

Querido Diário...

(...) por ter conseguido uma noite arrasadora, lá pelas quatro da manhã consegui pegar no sono, desliguei meu mp3 e realmente consegui dormir, já não tinha mais forças nem ao mesmo para chorar de tanto desgaste comigo mesma.
Ao amanhecer acordei aliviada, devia ter sido por tanto chorar a noite passada, tentei me distrair com qualquer musica eletrônica fingindo estar bem, fingindo me enganar com "outra vibe".  Só agora entendi o quanto ando danificada, ando fissurada para tentar esquecer o quanto me senti usada por teu ego, esse maldito ego. O quanto tento camuflar que ainda sofro por um rapaz que não existe, que vive em silencio (...)