.

.

2 de jul de 2011

A droga que não mata.


Eu gosto do seu sorriso, ele se tornou minha doze diária de felicidade. Toda vez que me sinto perto é como se injetassem uma droga muito forte em mim, a adrenalina que passa no corpo, o frio na barriga e a sensação de alivio da minha alma chega ser tão grande que não há como pensar em outra coisa durante a madrugada!
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário