Pular para o conteúdo principal

Pra ela, porém, sem ela!

Estava vazio quando cheguei, não havia mais nada.
Era apenas ele, seu coração partido e meias palavras não contadas. Sem xingamentos ou reclamações de outro alguém, mas, se encontrava em uma briga eterna com seu próprio coração. Olhava para suas escritas, tentando achar a solução, procurando um jeito de tocar o coração de quem mais amava
Fazia que aquele lugar, vazio que apelidava de coração fosse maior que qualquer outra coisa. Já não lhe importava mais o que fazia, noites em claro pensando no jeito que ela sorria enquanto abraçava outro. Ele, não aguentava saber que ela não fazia parte do seus planos. Não se importava mais com ele, tudo que considerava bonito era em relação a ela, pra ela! Ele por ele, não tinha vez! Não existia um "ele", sem ela.
Cheguei a perceber que seus olhos eram os mais bonitos do ambiente, porém, neles conseguia encontra a preocupação de um homem apaixonado... Apaixonado por uma dama, não uma dama qualquer. Ela possuía um coração estranho, era uma dama das ruas, uma qualquer que estava procura de um encontro causal e não se importava com as poesias dele, o cheiro dele ou o jeito dele, era apenas uma dama... Sem essência!
Enquanto ele, se encontrava no mesmo lugar... Sozinho com seu coração partido e suas meias palavras não contadas!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Direta.

Começo dizendo que tentei, de primeira, de ultima, uma, duas, três vezes... Você por algum motivo fingiu não ver o quanto protegi toda sua historia e a valorizei contando partes do passado enquanto a gente jogava conversa fora. Me declarei, li, fingi que não li, fingi entender e entendi. E dessa vez, os lados mudaram, não é que tu não seja feito pra mim, a real é que não nasci pra você. Sua forma fria de ser, congelada todo amor que tenho em mim.  Não vou me prolongar, vilão mesmo é meu pensamento criando toda aquela historia que você nunca deixou contar....
- Bruna Carmona

Querido Diário...

(...) por ter conseguido uma noite arrasadora, lá pelas quatro da manhã consegui pegar no sono, desliguei meu mp3 e realmente consegui dormir, já não tinha mais forças nem ao mesmo para chorar de tanto desgaste comigo mesma.
Ao amanhecer acordei aliviada, devia ter sido por tanto chorar a noite passada, tentei me distrair com qualquer musica eletrônica fingindo estar bem, fingindo me enganar com "outra vibe".  Só agora entendi o quanto ando danificada, ando fissurada para tentar esquecer o quanto me senti usada por teu ego, esse maldito ego. O quanto tento camuflar que ainda sofro por um rapaz que não existe, que vive em silencio (...)