.

.

8 de out de 2010

Porque infelismente... permiti!

Juntei mil motivos que me fizeram chorar até hoje. Hoje! Poucas horas atrás, voltei ao tempo e me ví em uma situação que já sei o final, me fez repensar em tudo, com muita frieza e dor.. Não porque quis, já não sou como antigamente, amadureci meu coração, mas.. não cumpri quando disse que não ia me apaixonar por alguém, até criar juizo em minha cabeça. Mal sabia eu, que logo mais adiante estaria depositando mais uma vez, meus sonhos e desejos em alguém... Vou te contar, não acreditei em mim mesma quando estava chorando na frente de uma tela, lendo varias vezes aquelas palavras. Pra quê passar por tudo isso? Já aconteceu uma vez, eu sei um fim disso! Um dos dois.. com o coração partido, mil juras jogadas foras e jeitos diferentes de contar que amor passou, um explicação tola para a magoa que sente. Será que eu realmente desejo passar por isso? Amor, exige insegurança, medo, magoa e dor. E, talvez eu não esteja pronta para dor e mágoas. Aquela tarde que passei insiste em bater toda noite na porta do meu livro de lembranças me trazendo de volta que eu não pudi fazer nada ao ver alguém do qual eu me importava tanto... partir, aquele amor que inclui insegurança, medo e dor veio à tona! Sim; eu lembro disso todos os dias, talvez porque eu não tenha tantas histórias a contar, repertório curto exige repetição de argumentos e falhas. Meu coração ainda há falhas quando falamos de magóas, a junção do passado/presente tem muito valor ainda, não um valor bom, algo ruim que me deixam mais aflita e pronta para ir com calma daqui para frente.
Com lagrimas vejo que preciso repensar, analisar essa situação sobre a matéria preferida de muitas garotas: o coração. Talvez com um pouco de frieza dessa vez! Para que as palavras, gestos e declarações de afeto não vão para passado, como parte de uma história mal contada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário