.

.

15 de fev de 2012

Um telegrama..


Não vou prometer que não serei exagerada ao falar de você. Primeiramente, irei começar de uma forma diferente, de um jeito que nunca lhe chamei.
Meu amor.
Como tens passado? Tem dormido bem, descansando? Aonde você está, te sufoca? Você lembrou do que quando se foi? Você consegue me dizer? Me ouvir? 
Te cerquei de mil perguntas e não obtive nenhuma resposta. Ainda estou dissolvendo a ideia da sua partida para longe, para onde você foi, não irá ter respostas.. Não terá ninguém, apenas você e o vazio do silêncio. Porque você nos deixou, por quê? 
Quando nós eramos próximos você ao menos pensou em mim como uma melodia que gosta? 
Não queria acreditar na sua partida, cada vez mais parece que algo que era para ser meu, se foi. Mas, acabou. Infelizmente acabou.
Você se foi e agora me restou toda essa duvida, essa parte que me deixa inconformada perguntando para Deus, o por que ele te levou de nós, sendo você tão lindo por tudo...
Sendo que você era alguém bom, para mim e para toda as pessoas em sua volta. Nos fez tão bem que a saudade agora vem em seguida do teu nome. 
Peço por mim e pelo meu coração, que se foi junto a ti, que mesmo sabendo que você está bem, que se cuide. Porque eu já não posso mais cuidar. 

Luto. Henrique Vasques de Haro 

- Bruna Carmona




Nenhum comentário:

Postar um comentário